quinta-feira, 19 de julho de 2012

ÔNIBUS PARA ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS: PARA UNS SIM E PARA OUTROS NÃO?



Os estudantes de Garopaba, que precisam utilizar o transporte escolar no período noturno com destino a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em Florianópolis, estão indignados. E com toda a razão. Enquanto a prefeitura disponibiliza GRATUITAMENTE cinco ônibus diários para uma universidade privada situada em Tubarão (UNISUL) não é capaz de disponibilizar transporte gratuito no mesmo período para a universidade federal (pública) situada em Florianópolis. A distância entre Garopaba e Tubarão ou Garopaba e Florianópolis são os mesmo 80 quilômetros. Por que será que a Prefeitura municipal por intermédio de sua secretaria de educação fornece cinco ônibus de graça para os estudantes da UNISUL e disponibiliza um único ônibus para os estudantes da UFSC, cobrando uma taxa de R$ 135,00 por mês? Este ônibus é privado? E tem mais: este único ônibus com destino a Florianópolis tem mais buracos que um queijo suíço e em dias de chuva a alunada sofre com as goteiras. Dá até pra jogar pólo aquático no busão (eis o apoio ao esporte)! Vergonha total.

Numa cidade que o padrão médio de vida não é alto, principalmente entre estudantes, R$ 135,00 faz muita diferença no orçamento. O que pode ser feito com esta quantia? Ela é o suficiente para pagar a conta de água e luz da maioria. Também dá pra comprar mais de 70 litros de leite (em embalagem longa vida). Compra mais de 80 quilos de arroz ou mais de 10 quilos de carne de segunda. Você pode abastecer seu automóvel com 50 litros de gasolina comum. Como visto R$ 135,00 não é pouca grana e, o dinheiro dos estudantes não dá em árvore para ser tomado desta forma. Isto é coisa de sangue-suga.

Por que essa discriminação com os alunos da UFSC? Por que a prefeitura nega direitos iguais a todos os estudantes? Por que somente os alunos de universidade privada têm direito a transporte gratuito? Será que a UNISUL ganha alguma coisa com essa preferência clara da prefeitura? 
Para alguns o transporte é assegurado como direito, enquanto para outros a questão é tida como um mero “favor”. Existe motivo para isso? Igualdade de tratamento está passando bem longe daqui...

Por falar em ônibus: Convenientemente, neste ano (eleitoral), a prefeitura para fazer “uma média”, disponibilizou transporte escolar aos alunos da rede municipal. Por que não tomou essa medida antes?
Difícil de responder, não é mesmo? Enquanto isso, os ônibus de linha que operam em Garopaba, continuam a mesma coisa de sempre: carros (muito) velhos e com poucos horários. Isso sem falar das paradas, muito mal conservadas. Se aqueles que desfilam por aí de carro alugado (e não adesivado) pago com dinheiro público andassem de busão, talvez a realidade do povo fosse um pouco diferente.

Todos sabem que o transporte coletivo, do ponto de vista ambiental, é melhor que os automóveis e as motocicletas. Mas deste jeito, fica difícil trocar o carro pelo ônibus. Você trocaria? Definitivamente, Garopaba não privilegia nem o transporte coletivo e nem as bicicletas. 
Fica uma péssima herança de maus hábitos e exemplos para as futuras gerações. Pedimos licença aos leitores, pois já é tarde e temos que ir estudar na UFSC. E vamos de GOLF (GOLF = Grande Ônibus Lotado e F*d*do).

DO JEITO QUE ESTÁ NÃO PODE CONTINUAR!

2 comentários:

  1. E aqui fica a pergunta: será que o vereador que presta apoio político incondicional ao Prefeito em troca de “benefícios” pessoais, exercerá livremente a função de fiscalizá-lo? Não. E é isso que acontece na maioria das cidades brasileiras. Isso precisa ser mudado.Vereador deve ser independente, atuante, polêmico, e deve sempre ter a coragem de concordar com o que considerar certo e discordar do que considerar que esteja errado.

    ResponderExcluir
  2. B.dia a todos...acho q jamais encontraremos aqui no Brasil, 1 Vereador com estas caracteristicas..."ELES" não sabem o q faz 1 VEREADOR E OS DE GAROPABA (TODOS) ESTAO NESTA FAIXA...e muitos deles são "mui amigos" do PODER, OU SEJA DO PREFEITO DO MOMENTO.- jader martins.-

    ResponderExcluir